Sobre

O PROJETO

NUMERALIZA é um espaço virtual desenvolvido para compartilhar meus estudos e vivências relacionadas ao Ensino e Aprendizagem de Matemática na Educação Infantil e Anos Iniciais do Ensino Fundamental.

Em minhas andanças por esse Brasil, tenho encontrado muitos profissionais insatisfeitos com o desempenho de seus alunos em relação à matemática. São profissionais dedicados, que não medem esforços para que seus alunos aprendam, mas que, a despeito de todos os seus esforços, não tem conseguido modificar, de forma significativa, os resultados alcançados.

Muitos afirmam perceber uma grande diferença quando exploram a matemática por meio de  jogos ou atividades mais lúdicas, entretanto sentem falta de subsídios para usar de forma mais sistemática esses recursos em sala de aula.

As angústias, tão frequentemente relatadas por esses profissionais, mediante as dificuldades que sentem para ensinar matemática, são as mesmas que vivenciei quando atuava em sala de aula.

Foram elas que me levaram a estudar sobre como as crianças aprendem matemática, atividade à qual tenho me dedicado há mais de 20 anos (para mais detalhes sobre essa minha trajetória de estudos acesse o post Dificuldade para ensinar matemática: o início de um percurso profissional e acadêmico).

O NUMERALIZA nasceu de um desejo de compartilhar de forma mais ampla o que aprendi ao longo desses anos e de ajudar outros educadores a construirem um novo olhar para matemática na escola e assim ajudar também as milhares de crianças que estão todos os dias na escola sem conseguir, de fato, aprender matemática!

QUEM FAZ

 Ana Ruth Starepravo

Olá! Eu sou a Ana Ruth, tenho 44 anos e sou professora.

Cursei Pedagogia na UFPR, onde também fiz Mestrado em Educação. Tenho Doutorado em Educação pela USP e sou apaixonada pela minha área de pesquisa que é o Ensino e a Aprendizagem de Matemática.

Já fui professora dos anos iniciais, coordenadora pedagógica e professora do ensino superior.

Também já escrevi muitos livros e artigos na área de educação e costumo andar muito por esse Brasil ministrando cursos, palestras e realizando assessorias pedagógicas na esfera pública e privada de educação.

Sou professora nos cursos de pós graduação em Psicopedagogia da PUCPR e da Universidade Positivo, em Curitiba (Paraná).

Há dois anos troquei Curitiba, minha cidade natal, por Florianópolis. Então hoje moro nessa belíssima ilha de Santa Catarina com meu marido e nossos três filhos.

Quando cheguei aqui, tivemos a alegria de encontrar uma escola maravilhosa para nossos guris: a Escola dos Sonhos (esse não é um trocadilho, a escola tem mesmo esse nome!). Lá eu também desenvolvo um trabalho de formação com os professores e equipe pedagógica e estamos começando um novo projeto que é a Oficina de Matemática.

Desde que me tornei mãe, em 2011, trabalho a maior parte do tempo em casa, na produção de textos e materiais didáticos, planejamento e organização de materiais para as formações e disciplinas nos curso de pós, elaboração de projetos de formação presenciais e à distância, entre outras coisas.

Como grande parte das mulheres, divido esse tempo de trabalho com a gestão de uma casa que, no meu caso, tem três guris de 6 anos. É isso mesmo: sou mãe de TRIGÊMEOS!

Embora essa gestão seja compartilhada com meu marido (que também trabalha em casa), dar conta de tudo isso é um grande desafio que demanda planejamento, disciplina e uma boa dose de entusiasmo!

Mas entusiasmo é o que não me falta quando o assunto é EDUCAÇÃO Por isso resolvi compartilhar com outros educadores aquilo que venho estudando e vivenciando sobre esse tema há mais de 20 anos.

Sei que a matemática é motivo de angústia para muitas crianças e adolescentes e também para seus pais e professores, assim como também já o foi para mim.

Aprender matemática tem sido uma tarefa muito árdua para nossas crianças, mediante a qual muitos tem fracassado.

Não pretendo, contudo, vender a falsa ideia de que aprender matemática pode ser algo exatamente fácil, de que existe uma fórmula mágica, que se aplicada corretamente, acabará com todas as dificuldades.

Aprender, por si só, é  uma tarefa árdua, em qualquer âmbito da nossa vida ou área do conhecimento, uma vez que implica em nos modificarmos. E isso, certamente, não é fácil!

Agora, se você estiver disposto a me acompanhar, vou lhe mostrar que todos podem aprender matemática e que embora essa aprendizagem possa mesmo se constituir numa tarefa árdua, também pode ser prazerosa, desafiadora e instigante para todos os envolvidos!

DEPOIMENTOS

Conheço a Ana Ruth há mais de 20 anos. Começamos a trabalhar juntas na Escola Palmares, em Curitiba e venho acompanhado sua trajetória pessoal e profissional desde então.

O estilo não mudou: o encantamento que a Ana tem pelos projetos que se envolve é o mesmo de quando era professora. A sua exigência em relação ao que faz e ao modo como faz também é uma marca registrada.

E isso pode ser percebido facilmente pelos que acompanham seu trabalho e tem a oportunidade de conhecer os diferentes papéis que ela Ana assume: da mãe que acompanha atentamente seus filhos e a escola que escolheu para eles, da formadora de alunos e professoras, da autora de livros, da palestrante, da apaixonada pela Educação Matemática.

Admiro muito a missão que a Ana assumiu para si, a de disseminar a ideia que que é muito possível e urgente transformar a Matemática escolar.

Andrea Maia de Santana é  Mestre em Educação pela UTFPR. Trabalha como Gerente de Conteúdos de Tecnologia Educacional.

Andrea Maia de Santana – Curitiba/PR

A professora Ana Ruth foi consultora do curso de formação continuada em matemática, que atendeu as professoras da rede pública do município Duque de Caxias, no Rio de Janeiro.

Como formadora posso afirmar que essa experiência foi extremamente enriquecedora, transformando visão tradicional que as professoras tinham da matemática no Ensino Fundamental.

Cláudia Gomes é Mestre em Educação pela UERJ. Implementadora de Formação Continuada no município de Duque de Caxias/RJ.

Cláudia Gomes – Niterói/RJ

Conheci Ana Ruth quando ainda era aluna do Magistério no Colégio Martinus (Curitiba/PR). Não era apenas uma aluna, mas sim a aluna que se sobressaia pela curiosidade, questionamentos e principalmente no interesse em entender o Projeto Político Pedagógico do colégio, que atuava desde o Jardim de Infância até o Ensino Médio.

Nós, integrantes da parte diretiva do colégio, estávamos de olho na futura professora, que passou a fazer parte do quadro de professores e em pouco tempo se destacou, entrando com tudo no trabalho interdisciplinar e superando-se no trabalho com Resolução de Problemas nos anos iniciais.

Eu amava estar em sua sala e observar como fazia os questionamentos, levando seus alunos a levantar hipóteses em prol do desenvolvimento do pensamento lógico de cada um.

Lembro-me da batalha que enfrentei para que Ana Ruth participasse de um Congresso em Cuiabá, em 1994. O investimento financeiro era alto, não só pela participação no congresso, mas pela viagem. Mas essa oportunidade a levou ainda mais a se aprofundar no assunto e ser uma multiplicadora dentro da própria escola.

E não preciso dizer que Ana Ruth levantou asas e voou. Publicou a sua primeira coleção didática de matemática, ainda como professora, e os seus personagens eram os seus próprios alunos (e sua bagagem junto a eles).

Com sua capacidade alçou voos ainda maiores, tornou-se Mestre, Doutora em Educação, palestrante, formadora de professoras neste nosso imenso Brasil.

Neste momento fico feliz por mais um voo que está prestes a alçar: O Blog NUMERALIZA.

Tenho certeza de que é mais um projeto para enriquecer o trabalho dos educadores, comprometidos com a preocupação de como uma criança aprende. Tenho muita alegria e carinho por ter feito parte desse processo.

Elsbeth Schütz é educadora, teóloga e publicitária. 

Elsbeth Schutz – São João da Boa Vista/SP

Tive a sorte e o privilégio de ser aluna da Ana Ruth na PUCPR e anos mais tarde, poder participar de uma sequência de encontros de Assessoria Matemática para professores que ela organizou na escola em que eu trabalhava.

Destaco a leveza e a sensibilidade com que ela não só nos (re)apresentou a Matemática, mas como ela nos fez compreender a importância de fomentarmos em sala, cotidianamente, o desenvolvimento do raciocínio lógico-matemático.

Foram encontros que até hoje incrementam a minha “práxis” ( dentro e fora da escola). Eles, de fato, me atravessaram, me encantaram.

A partir da sua fala repleta de exemplos e interatividade (com materiais, situações-problema e jogos), somada à leitura de seu livro “Jogando com a Matemática: números e operações”, pude compreender como e porquê, durante o ato de jogar, um professor deve valorizar os detalhes, deve perceber as estratégias de cálculo dos alunos, enxergar a opção que um aluno faz por uma determinada jogada e ainda, considerar as dúvidas que surgirem numa determinada partida.

Tudo isso, se tornarão importantes subsídios para planejar novas atividades e intervenções.

Assim, esse professor atento ao jogo, torna-se capaz de inseri-lo com eficácia na rotina escolar, trabalhando os mais variados conteúdos, e garantindo, sobretudo; uma significativa intencionalidade na sua proposta.

Helena Almeida é Pedagoga pela UFPR e Bióloga pela PUCPR. Mestranda em Filosofia da Infância e Assessora Pedagógica. Coordenadora do Projeto Por uma Educação Sensível. 

 

Helena Almeida – Jaraguá do Sul/SC

Falar da Ana Ruth é bom, é fácil, pois só se consegue falar bem dela!

Tive o privilégio de conhecê-la bem no comecinho de sua jornada na educação quando foi auxiliar na turma da qual eu era regente. Desde então já era visível que ela tinha um “algo a mais”. Não bastava para ela dar aula, ser criativa, inspirada, envolvida… ela queria que todos se apropriassem do que era ensinado e sofria com os eventuais fracassos.

A Ana é uma dessas pessoas que vai à luta, que quer tornar o mundo melhor, que batalha para que as crianças aprendam a pensar, a raciocinar e também motiva e inspira outros a fazerem o mesmo.

Mais de vinte anos depois, posso dizer que as melhores previsões sobre seu futuro estavam certas! Sou sua fã, minha querida, admiro-a como profissional e como ser humano, além de ter muito orgulho por poder, de alguma forma, fazer parte da sua história!

Ilse Odete de Carvalho. Licenciada em Letras Português, Diretora do Colégio Martinus – Curitiba/PR.

Ilse Odete de Carvalho – Curitiba/PR

Sou amiga e grande admiradora da Ana Ruth. Tenho a alegria de trabalhar ao lado e com ela, em diferentes instituições, cidades, publicações e congressos.

No entanto, vale salientar, que inicialmente, a nossa aproximação deu-se no plano das ideias e do que nos é comum: o amor e o pleno envolvimento com a escola, em seu complexo processo de mediar aprendizagens, ou seja, promover o ensino.

A Ana Ruth dedica-se, em tem notoriedade, nas pesquisas e no trabalho com as bases do pensamento lógico Matemático, que sustenta todas as áreas das aprendizagens e do ensino. Portanto, é redução destacá-la como uma pesquisadora “da área da Matemática” tão somente.

Ela é uma formadora de seres pensantes, capazes de promover hipóteses, buscar respostas e produzir outros questionamentos.

Sobretudo, o tempo de convivência me mostrou, que a Ana Ruth é uma ensinante delicada, afetuosa, estudiosa e competente – um ser humano em seu sentido pleno.

Isabel Parolin é Psicopedagoga Clínica e Mestre em educação pela PUC/SP. Autora de livros e artigos em revistas, jornais e sites de temas relacionados à aprendizagem, ensino e a educação familiar.

Isabel Parolin – Curitiba/PR

Conheci a Ana Ruth Starepravo nos cursos de Formação Continuada oferecidos pela Secretaria Municipal de Educação do município onde leciono e tive o privilégio de ser uma das professoras da rede a desenvolver um trabalho de filmagem de prática pedagógica em matemática com os alunos, assessorada pela Ana Ruth, experiência essa, que fez parte do livro de autoria dela “Ação e Reflexão na Formação Docente – a experiência do município de Birigui”.

O desenvolvimento desse trabalho, que fazia parte do processo de Formação Continuada, mudou a minha visão sobre a forma como as crianças aprendem matemática e me proporcionou acompanhar experiências de aprendizagens e descobertas incríveis por parte dos alunos.

A cada socialização de processos de resoluções pelas crianças, me encantava a forma como elas iam construindo conceitos matemáticos.

Jamais poderia ter observado tais experiências se não tivesse, por meio das orientações da Ana Ruth Starepravo, proporcionado aos alunos possibilidades de construir processos e desenvolver estratégias de resoluções, reduzindo suas aprendizagens em matemática a simples técnicas e exercícios repetitivos, que na maioria das vezes, não são compreendidos por eles.

Janaína Araújo é licenciada em Pedagogia. Pós graduada em Didática e Educação Infantil e professora no município de Birigui/SP.

Janaína Araujo – Birigui/SP

Conheci a Ana Ruth fazendo mestrado em Educação na UFPR, e logo me impressionei com sua visão claríssima sobre os problemas do ensino da Matemática em nossas escolas e sobre o caráter extremamente viável e prático das soluções que ela apontava.

Com o tempo, e hoje já Doutora há vários anos, seu conhecimento teórico ganhou muito corpo, mas sem prejuízo de sua incrível capacidade de, com suas intervenções, cursos e palestras, provocar reflexão e transformações que se refletem em nossas salas de aula.

Essa é uma qualidade raríssima e, na minha opinião, ela é a nossa grande qualificadora para quem busca transformar o ensino da matemática e, através dele, nossas escolas.

Luiz Carlos Rischbieter é Licenciado em Geografia pela UFPR e Mestre em Educação pela Universidade Paris V. Sócio fundador da Casa Labirinto e consultor pedagógico da Positivo Informática. Autor de várias obras na área da Educação, entre elas do “Guia Prático de Pedagogia Elementar”

Luca Rischbieter – Curitiba/PR

Conheci Ana Ruth, como colega palestrante, num congresso de educação em 2000. Desde, então, muitos foram os encontros em cursos e outros congressos, fazendo com que a minha admiração só aumentasse.

Ana é uma profissional seríssima, competente e com um conteúdo altamente denso, mas esses não são seus maiores atributos. Creio que o que mais impressiona é sua vocação e dedicação aos estudos, ao aperfeiçoamento e ao ensino.

Ana é uma educadora que dá brilho e orgulho à nossa profissão.

Marco Antônio Ferraz é Biólogo e Pedagogo com especialização em Administração escolar. Professor há mais de 35 anos e assessor de escolas há mais de 20anos. Foi Diretor da Abril Educação.

 

Marco Antônio Ferraz – São Paulo/SP

Ana Ruth Starepravo é a criatura mais delicada e humana que eu já conheci nessa passagem pela Terra e talvez ela não tenha a mínima consciência de como ela é exemplo e caminho para tantos que a rodeiam.

Ainda que bem mais nova do que as pessoas do nosso grupo, ela areja e ilumina qualquer reunião, empreendimento ou festa com sua doçura, objetividade e clareza. Esses atributos pessoais também valem para seu magnífico processo profissional.

Desconheço alguém que trabalhe com educadores que consiga transitar com tanta facilidade por todas as nuances de profissionais como ela.

Além de cativar, Ana Ruth  conquista para o prazer de aprender. Qualquer assunto ou tema por ela discorrido, passa a ser interessante, às vezes, apenas pela maneira como ela coloca o tema em questão.

Outro atributo invejável é a capacidade que essa mãe de trigêmeos tem discordar. Nunca presenciei uma conversa profissional em que a Ana Ruth se furtasse de deixar clara a sua posição quanto ao que estava sendo discutido. Sempre com muita delicadeza e perspicácia.

Tive a honra de escrever algumas obras com ela e sempre aprendi mais e mais através de seus claros e objetivo textos. Da mesma forma, como parceira em Mesas de Debates, acaba por encantar aos componentes da Mesa e à plateia inteira, pois o que não lhe falta é base e argumentação para defender seus princípios.

Com linguagem clara, tanto oral quanto escrita, seu discurso é preciso, rico e jamais deixa de estabelecer a relação que melhor pode formar o educador: o binômio teórico/prático. Conheço e convivo com inúmeros formadores na área da Educação e tenho certeza de que a maioria concorda com o que aqui escrevo.

Do ponto de vista teórico, bebendo na fonte riquíssima do orientador Lino de Macedo no doutorado, da USP e no Mestrado tendo como grandes orientadoras Maria Lúcia Faria Moro e Maria Tereza Carneiro e a ela tem bases sólidas e foi uma honra assistir a defesa de sua dissertação, na UFPR.

Suas leituras, tal qual seus textos, jamais são rasos e isso se reverte em fonte produtiva de possibilidades para todas as pessoas que podem usufruir de uma relação mais acadêmica com ela. Suas alunas de Pós Graduação, bem como as professoras que a assistem nos momentos de formação profissional, são cativados para sempre, como eu fui arrebatada desde os idos de 90, quando começamos a dar palestras nos mesmos eventos.

Não foi a toa que, há quase uma década, montamos uma empresa, com a Isabel Parolin, Sônia Kuster e Erasmo Andrade e isso foi mais um motivo de realização profissional para mim. Suas ideias e sua postura fazem-me crer cada vez mais no ser humano, pois o que vale dessa vida são os vínculos preciosos que podemos fazer com seres cada vez mais humanos.

Enfim, só posso concluir esse depoimento dizendo que sou verdadeiramente uma afortunada e feliz por ter como amiga, colega e sócia uma pessoa do Bem como a Ana Ruth Starepravo.

Sandra Bozza é Licenciada em Letras pela PUCPR e Mestre em Ciências da Educação pela Universidade Lusófona de Humanidades e Tecnologias de Lisboa/Portugal. Autora de diversos livros e artigos na área de Linguística, Metodologia da Alfabetização e Literatura Infantil. Atua com formação continuada de professores em todo Brasil.

Sandra Bozza – Curitiba/PR

Conheci o trabalho de Ana Ruth através de sua atuação como formadora na rede municipal de ensino de Birigui.

De 2009 a 2015, desenvolveu junto aos professores, coordenadores, diretores e equipe técnica da Secretaria de educação um trabalho formativo pautado na reflexão sobre a prática, através de cursos e oficinas cujos saberes construídos expandiram-se e tomaram forma através da prática cotidiana do professor.

Foram construídos conhecimentos pedagógicos que nos fizeram evoluir no entendimento de conceitos fundamentais para o ensino da matemática para crianças pequenas e que nos fizeram reconhecer as formas de pensar de cada criança, sua autonomia e protagonismo como princípio básico de toda aprendizagem.

Seguramente, posso afirmar que os bons índices educacionais verificados no município, sobretudo no campo da matemática, se devem, em grande parte, a esse trabalho formativo que colocou a criança, suas formas de pensar e aprender como centro de toda ação pedagógica.

Avançamos muito enquanto profissionais graças ao seu trabalho coerente, ético e radicalmente comprometido com a aprendizagem de sucesso de todos os alunos.

Sônia Regina Guaraldo é Licenciada em Letras e Pedagogia. Especialista em Gestão Escolar pela UFSCAR e Mestre em Educação pela USP. Foi Secretária de Educação do Município de Birigui/SP de 2008 a 2016.  

Sônia Regina Guaraldo – Birigui/SP